O que aprendi com a morte do Boechat

O que aprendi com a morte do Boechat

11 de Fevereiro, 2019 0 Por marie

Gente hoje tivemos uma notícia muito muito triste, foi a morte de um dos maiores jornalistas do nosso país, o Ricardo Boechat.

Foi um susto imenso para todos nós, imagina só para a família! O Boechat deixa 6 filhos…. triste.

Ai a primeira coisa que vem em nossa cabeça é: porque justo o helicóptero desse jornalista fantástico foi cair?

Existem perguntas que não têm respostas, infelizmente. Mas uma coisa que podemos concluir é que a vida realmente é muito frágil. Hoje estamos bem, vivos, com saúde, amanhã não sabemos.

Então o que precisamos fazer? Viver intensamente a vida, da melhor forma possível. Aproveitar cada segundo que temos, olhar as coisas com olhos diferentes, com olhos vivos.

Vamos parar de reclamar por bobagem

Parar de chatear quem importa pra gente. A gente chateia os outros por coisas tão ridículas…. Coisas sem importância que não precisam nem serem levadas em consideraçao. Como quando a gente reclama porque não encontramos a porra da chave, porque a merda da comida demorou pra chegar, porque a calça jeans já tá desbotando, porque está calor demais…. tá vendo coisas totalmente sem importância. O que que vai mudar nossa vida ficar reclamando disso? Não vai mudar nada, aliás pode ser que tenha algo que mude, as pessoas que vivem ao seu redor podem se encher o saco de ficar ouvindo reclamações e se distanciam. Isso que pode acontecer. E eu acho que ninguém quer isso, né.

O que queremos é o oposto disso, queremos ser queridos, ser amados, ser importante para quem amamos. E  o que fazer pra isso acontecer? Com certeza parar de reclamar é a primeira coisa que deve ser feita, e talvez a mais importante.

Porque imagina como você será sem as reclamações? Você já é uma pessoa querida, só que reclama demais. Então se parar de reclamar será uma pessoa mais querida ainda.

Quando eu fazia terapia com a psicóloga ela me dizia uma coisa sempre e é o que devemos pensar sempre: o que de pior pode acontecer se esse fato continuar ou se tornar real? Temos que pensar assim antes de reclamar. Por exemplo, está muito calor e você quer reclamar do calor, ai você pensa: bom, com esse calor forte eu tenho que por uma roupa mais fresca e se eu suar e daí, todos estão com calor.

ENTÃO, UM EXERCÍCIO:

Antes de reclamar sempre pense no que de pior pode acontecer se tal fato continuar ou acontecer? No começo ai ser difícil porque você não está acostumado a fazer isso então terá que educar o seu cérebro. É como aprender a andar de bicicleta, primeiro você tem que treinar, só depois que vira automático.

O negócio é começar. O mais difícil sempre é começar. Veio uma reclamação na sua cabeça, pare, respire e pense. Não deixe o seu pensamento te dominar, domine o seu pensamento. Pois os sentimentos nascem dos pensamentos, sabia. Você só sente o que você pensa. Tá uma bagunça na sua cabeça de pensamentos automáticos? Pare, respire, e pense no que realmente importa pra você. Ai você já vai selecionando seus pensamentos.

Medite pra evaziar sua cabeça. Um dos enormes beneficios da meditação é esse, que você esvazia sua cabeça, deixa seus pensamentos de lado, ai quando eles voltam, eles voltam com menos força. E ai  você vai controlando eles. É sensacional! Pode acreditar!

Então, mas voltando a reclamação, mesmo que você já tenha reclamado de algo porque o que você fala já é automático, você nem pensa… Mesmo assim pense no que de pior pode acontecer se aquele fato continuar ou acontecer, ai você vai treinando seu cérebro.

Faz uma promessa pra você mesmo, a partir de amanhã você não vai deixar seus pensamentos te dominarem, você vai tomar as rédeas da situação.

A partir de amanhã seja uma pessoa melhor. E assim a cada dia você vai ser melhor. O difícil é começar, lembra.

Você vai ter uma ótima recompensa, vai ser mais querido por todos! Quer recompensa melhor que essa. Isso dinheiro nenhum no mundo compra.

Faça isso por você. A partir de amanhã acorde e seja uma pessoa melhor.

Eu também vou fazer isso por mim.

Estamos juntos nessa.